Crítica: O Espetacular Homem-Aranha

O Espetacular Homem-Aranha. Fui assistir ao mais novo filme do herói, dirigido por Marc Webb, com um certo receio de que não iria gostar, principalmente por ser um reboot muito próximo da trilogia dirigida por Sam Raimi.

Como fã das revistas em quadrinhos do herói aracnídeo, Raimi fez um ótimo trabalho e conseguiu transpor muito bem para as telas o universo do herói, principalmente em Homem-Aranha 2 (2004), que para mim e acredito para muitos, é um dos melhores filmes sobre super-heróis de todos os tempos. Importante citar também a excelente atuação de Tobey Maguire dando vida à Peter Parker na trilogia.

Portanto, assistindo ao filme O Espetacular Homem-Aranha, não há como não fazer comparações com os filmes de Raimi. Por exemplo, quando Peter Parker se depara pela primeira vez com a sua mutação, prefiro o filme de Sam Raimi que nos apresenta aos poucos as descobertas de Parker. Seu espanto por ter adquirido super-poderes, a transformação de seu corpo, tudo é gradual para nos apresentar o nascimento de um super-herói. Já no filme de Marc Webb, os eventos são apresentados de forma mais rápida. Entendo que, talvez esta escolha tenha sido feita por conta dos últimos filmes do Homem-Aranha estarem muito recentes em nossa memória, sem ter a necessidade de se alongar em alguns detalhes.

O Peter Parker de Marc Webb, interpretado pelo ator Andrew Garfield é bem diferente do Parker de Tobey Maguire. Melhor, pior? Não, apenas um outro Parker, uma outra visão para o jovem que descobre possuir de repente super-poderes. Garfield está bem no papel, gostei de seu Peter Parker. Mas minha preferência ainda vai para o Parker de Maguire, que apresenta um personagem com uma personalidade mais contida, se mostrando mais assustado com tudo aquilo que começa a lhe acontecer. O Peter de Garfield, por sua vez, tem uma atitude mais auto-confiante e aqui enxergo novamente a questão da aceleração de certos acontecimentos que o filme parece propor. Assim, segue também o relacionamento de Peter Parker com a sua amada Gwen Stacy, em um ritmo muito mais rápido do que o relacionamento de Parker com a Mary Jane da trilogia de Raimi. A questão da auto-confiança de Parker neste novo filme aparece também na forma como ele resolve revelar a sua identidade secreta para Gwen Stacy, personagem interpretada por Emma Stone.

Em termos de vilão, é interessante darmos uma olhada na construção em computação gráfica do personagem Lagarto. Muito bom, como sempre, o trabalho da Sony Pictures ImageWorks. Seguem dois vídeos que mostram um pouco da criação do vilão.

Outro vídeo interessante disponibilizado pela Sony Pictures ImageWorks é o que mostra também a transposição para as telas, por meio da computação gráfica, das icônicas poses dos quadrinhos do Homem-Aranha.

Apesar das minhas preferências em relação a primeira trilogia, O Espetacular Homem-Aranha não é um filme que decepciona. Pelo contrário, a ação prende do início ao fim e Andrew Garfield e Emma Stone estão bem em seus papéis. Então, temos com este filme um trabalho de bastante qualidade nas telas.

 

 

 

Anúncios

2 comentários em “Crítica: O Espetacular Homem-Aranha

  1. Ainda não assisti ao filme, portanto vou me ater ao que vi aqui, um ponto positivo por trazer Gwen Stacy como primeira namorada do Peter, Mary Jane Watson, só e mencionada insistentemente pela Tia May e apesar de terem estudado juntos na infância, o personagem da Mary jane só aparece bem depois na história (Edição 42 da Amazing Spider-Man), Peter tem uma outra namorada também Betty Brant, que é a secretária do Jameson, outro fato que chama a atenção é o tamanho e porte anabolizado do Lagarto, que se tudo der certo será o alter ego do Dr Curt Connors, que tem um braço amputado e estuda a regeneração celular dos lagartos, como forma de cura para amputados humanos, acredito que o lagarto poderia ser um pouco “menos grande”, tanto na altura, quanto no tamanho exagerado dos músculos, mas isso é coisa de fã mesmo, pelo que vi o filme não vai deixar os ninguém decepcionado com o “amigo de sempre” Homem Aranha.
    vlw Ana muito bom seu artigo, grande abraço

    1. Muito obrigada João! Valeu pelo comentário! Achei legal também o aparecimento da Gwen como primeira namorada de acordo com os quadrinhos. O filme tem um ritmo diferente da trilogia de Raimi, mas vale a pena! Um abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s